24/out/2013 - Ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann confirma apenas duas rodovias com leilão este ano: BR 163 (MT) e BR 060/153/262 (MG/GO/DF); - A Ministra também fala de aeroportos e  contradiz Ministro da Secretaria de Aviação Civil Moreira Franco dizendo que o governo não pretende rever o modelo de concessão de aeroportos, com a Infraero detendo 49% da participação nas concessões; - Nas ferrovias foi publicado no DOU decreto que institui a  política de livre acesso ao Subsistema Ferroviário Federal e  dispõe sobre a atuação da Valec - Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., para o desenvolvimento dos sistemas de transporte ferroviário.A legisla&cced

23/out/2013 - O leilão aconteceu. Daqui para frente, a acompanhar o andamento deste projeto em um momento de fragilidade financeira da Petrobrás...

17/out/2013 - Será que teremos a oportunidade de discutir politica econômica na campanha? Alguns acham que sim. A discussão do tripé macroeconômico de metas de infação, superávit primário e cambio flutuante entrou na roda agora contrapondo Marina Silva e Dilma Rousseff.Com o quadro macro mais fragilizado dado crescimento baixo, inflação no topo da meta, conta corrente mais deficitário e muitos olhos no desempenho fiscal há espaço para isto.

17/out/2013 - Campanha em pleno andamento, na mídia tradicional, na internet e nos bastidores: Presidente Dilma intensifica viagens , define Marina Silva como adversária principal de momento e lança plano sustentável; Ex-presidente Lula convoca militância do PT a “ocupar as mídias sociais” ; Ex-governador Aécio Neves lança pré-plano de governo e negocia palanques estaduais.

16/out/2013 - We get a deal! Pois é, depois das intensas negociações entre Republicanos e Democratas para o aumento do teto da dívida, os ventos fiscais contrários mencionados algumas vezes durante o ano pelo FED vão se tornar uma leve brisa, será? Negativo. O acordo prevê folego adicional ao Tesouro somente até o início de fevereiro do próximo ano e a reabertura do governo acontecerá até 15 de janeiro. Com a política fiscal mais contracionista e o ambiente político mais difícil, os estímulos monetários vão ganhando sobrevida em 2014.

15/out/2013 - Se existe algum agente confiante em um acordo para a elevação do teto da dívida nos Estados Unidos é o mercado. Chama a atenção o movimento dos ativos que parecem em compasso de espera como mostram os indicadores financeiros, com o credo de que uma catástrofe depois do dia 17 de outubro é praticamente improvável. Porque na história nenhum governo quebrou por inépcia política e isso não vai acontecer logo com o Tio Sam, right? 

11/Out/2013 - Faltando seis dias para que o governo norte-americano alcance o teto do endividamento público e declare um possível default, as negociações entre situação e oposição devem continuar fim de semana a dentro. Alguns financiadores do partido Republicano já expressaram sua insatisfação com a atual situaç&atatilde;o, pressionando por um acordo. Agora que pegou no bolso, quero ver onde vai parar a ideologia.

10/out/2013 - A última ata do FOMC divulgada ontem, a escolha da nova “chairwoman” Janet Yellen para ocupar a presidência do FED a partir de fevereiro do próximo ano e os ventos fiscais contrários vindos da paralização parcial do governo e da dificuldade em aprovar um novo limite para a dívida pública, diminuem cada vez mais a probabilidade de diminuição dos estímulos monetários na economia norte-americana ainda este ano. Será que mais uma vez os sinais vão nos surpreender?

09/out/2013 - A primeira semana de outubro da balança comercial mostrou um superávit de US$ 1,8 bilhão. O resultado foi fortemente influenciado pela exportação de uma plataforma para a extração de petróleo e gás no valor ao redor de US$ 1,9 bilhão, revertendo o déficit comercial que perdurava desde o início do ano. Este expediente já havia sido utilizado por outras vezes no ano o que totaliza o valor de exportação deste item em 2013 para US$ 4,7 bilhões, ou seja, se este valor for descontado, o saldo comercial até a primeira semana de outubro seria revertido de um superávit de US$ 254 milhões para um déficit de US$ -4,4 bilhões. Agora se fizerm

09/Out/2013 - Está ficando claro que o quadro “Todos contra o PT” pode ser uma realidade na eleição de 2014. O ex-presidente Lula,que tem ótimo faro político, já orientou seus correligionários a não tratar Eduardo Campos e Marina Silva como inimigos. Resta ver como o PT agirá. A primeira leitura da aprovação, a “toque de caixa”, no Senado Federal da legislação que não permite que os novos partidos contem com o tempo de televisão e acesso ao fundo partidário daqueles parlamentares que migrarem de outros partidos é de que este projeto, atribuído ao Planalto, seja retaliação. A Rede Sustentabilidade fica bloqueada por este projeto.

    

COMPARTILHE

face link