Os economistas Abhijit Banerjee e Esther Duflo, ambos professores no MIT, e Michael Kremer, professor em Harvard, ganharam o Nobel da Economia de 2019, por sua “abordagem experimental para aliviar a pobreza global”. Em trabalhos inéditos, realizaram experimentos com as populações de países pobres como Quênia e Índia, chegando a conclusões práticas sobre como desenhar políticas públicas de modo melhor tratar o problema da pobreza. Além deste tema principal, outras áreas relacionadas, como educação, saúde e microcrédito também fazem parte da agenda dos pesquisadores. Também é digno de nota pontuar que Esther Duflo, além de ser a segunda mulher em toda a história da premiação, é a mais jovem pessoa a ser homenageada, com 46 anos.

A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nessa quinta-feira pelo IBGE, apontou crescimento de 0,1% no índice do volume de vendas do comércio varejista com ajuste sazonal na passagem de julho para agosto. Na comparação mensal interanual, as vendas no varejo sem ajuste sazonal aumentaram 1,3%. Com este resultado, o acumulado nos últimos 12 meses foi de 1,4%, abaixo do resultado nos últimos doze meses imediatamente anteriores (1,6%). O comércio varejista ampliado, que inclui também as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, manteve-se igual na passagem de julho para agosto e aumentou 1,4% na comparação mensal interanual. Com o resultado, o acumulado nos 12 meses foi de 3,7%, abaixo dos 4,1% nos últimos doze meses imediatamente anterior

O IPCA registrou variação de -0,04% em setembro, ante variação de 0,11% em agosto. Com o resultado do mês, o valor do acumulado nos últimos doze meses recuou de 3,43% para 2,89%. Dentre os 9 grupos analisados na pesquisa, 3 apresentaram deflação em setembro, “Alimentação e bebidas” (-0,43%), “Artigos de residência” (-0,76%) e “Comunicação” (-0,01%). Dentre os outros, que apresentaram inflação, destaca-se “Saúde e cuidados pessoais”, com variação de 0,58% e impacto de 0,07 pontos percentuais no índice fechado. O INPC variou -0,05% em setembro, abaixo dos 0,12% registrados no mês anterior. O valor do acumulado dos últimos 12 meses recuou de 3,28% para 2,92%.

Nesta semana, com algum atraso frente à agenda inicial por conta da pauta do Senado estar sendo mesclada entre a pauta econômica e demandas corporativistas, a Reforma da Previdência foi aprovada em primeiro turno. O segundo turno deve acontecer em meados do mês. Dos destaques apresentados, foi aprovado apenas o que alterava a regra para a concessão de abono salarial. A perda estimada para os próximos dez anos é de R$ 76 bilhões -- de R$ 933 bilhões aprovados pela Câmara dos deputados há 2 meses, para R$ 877 bilhões agora.A falta de coordenação do governo e de liderança do presidente do Senado nesta votação colocam uma dose extra de apreensão para com o comportamento futuro do Senado, casa na qual podem acontecer os maiores riscos fiscais neste ano. Os governadores, cuja

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada terça-feira pelo IBGE, mostrou um crescimento de 0,8% da produção industrial nacional em agosto frente ao resultado de julho na série com ajuste sazonal. Na comparação mensal interanual, o resultado da indústria apresentou queda de 2,3% em relação agosto de 2018 na série sem ajuste sazonal. Com o resultado, o acumulado nos últimos 12 meses variou de -1,7%, abaixo do resultado nos últimos doze meses imediatamente anteriores (-1,3% em julho). Na análise por grandes categorias econômicas, vemos as seguintes variações mensais com ajuste sazonal: “bens de capital” (-0,4%), “bens intermediários” (1,4%), “bens de consumo” (-0,7%), com “duráveis” (-1,8%) e “semiduráveis e não duráveis” (-0,4%). Dentre os 26 ra

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou variação de 0,09% em setembro, mantendo-se próximo ao valor de 0,08% registrado em agosto. Com o resultado do mês, o crescimento do acumulado nos últimos doze meses permaneceu 3,22%, e o valor acumulado no ano de 2019 ficou em 2,60%. Os grupos “Alimentação e bebidas”, “Artigos de residência” e "Comunicação" apresentaram deflação de agosto para setembro, cabendo destaque ao primeiro, com variação mensal de -0,34% e impacto de -0,08 pontos percentuais (p.p.) no índice fechado. Do lado dos grupos que apresentaram inflação, o maior impacto foi do grupo “Habitação” com variação mensal de 0,76% e impacto de 0,12 p.p. no IPCA-15, resultado influenciado principalmente pelo item "energia elétrica", qu

A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nessa quarta-feira pelo IBGE, apontou crescimento de 1,0% no índice do volume de vendas do comércio varejista com ajuste sazonal na passagem de junho para julho. Na comparação mensal interanual, as vendas no varejo sem ajuste sazonal aumentaram 4,3%. Com este resultado, o acumulado nos últimos 12 meses foi de 1,6%, acima do resultado nos últimos doze meses imediatamente anteriores (1,2%). O comércio varejista ampliado, que inclui também as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, aumentou 0,7% na passagem de junho para julho e 7,6% na comparação mensal interanual. Com o resultado, o acumulado nos 12 meses foi de 4,1%, acima dos 3,7% nos últimos doze meses imediatamente anteriores.

O IPCA registrou variação de 0,11% em agosto, ante variação de 0,19% em julho. Com o resultado do mês, o valor do acumulado nos últimos doze meses avançou de 3,22% para 3,43%. Dentre os grupos analisados na pesquisa, 3 apresentaram deflação em julho, “Alimentação e bebidas” (-0,35%), “Transportes” (-0,39%) e “Saúde e cuidados pessoais” (-0,03%). Dentre os outros, que apresentaram inflação em agosto, destaca-se “Habitação”, com variação de 1,19% e impacto de 0,19 pontos percentuais no IPCA. O INPC variou 0,12% em agosto, acima dos 0,10% registrados no mês anterior. O valor do acumulado dos últimos 12 meses avançou de 3,16% para 3,28%.  

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada terça-feira pelo IBGE, mostrou uma queda de 0,3% da produção industrial nacional em julho frente ao resultado de junho na série com ajuste sazonal. Na comparação mensal interanual, o resultado da indústria apresentou queda de 2,5% em relação julho de 2018 na série sem ajuste sazonal. Com o resultado, o acumulado nos últimos 12 meses foi de -1,3%, abaixo do resultado nos últimos doze meses imediatamente anteriores (-0,8% em junho). Na análise por grandes categorias econômicas, vemos as seguintes variações mensais com ajuste sazonal: “bens de capital” (-0,3%), “bens intermediários” (-0,5%), “bens de consumo” (0,8%), com “duráveis” (0,5%) e “semiduráveis e não duráveis” (1,4%). Dentre os 26 ramos industri

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou variação de 0,08% em agosto, mantendo-se próximo ao valor de 0,09% registrado em julho. Com o resultado do mês, o crescimento do acumulado nos últimos doze meses passou de 3,27% para 3,22%, e o valor acumulado no ano de 2019 ficou em 2,51%. Os grupos “Artigos de Residência”, “Despesas Pessoais”, “Educação”, “Comunicação” e "Habitação" apresentaram alta de julho para agosto, cabendo destaque a este último, com variação de 1,42% e impacto de 0,23 pontos percentuais (p.p.) no índice fechado, devido principalmente ao resultado do item "energia elétrica", que obteve acréscimo de 4,91% com a incidência da bandeira vermelha patamar 1 . Do lado dos setores que apresentaram deflação, o maior impact

    

COMPARTILHE

face link