O Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) variou 0,79% em janeiro de 2018. A variação é inferior à observada no mês anterior e à observada no mesmo mês do ano anterior; de 0,90% e 0,88%. Com o resultado de janeiro, o IGP-10 acumulou taxa de -0,51% nos últimos 12 meses. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 1,06% em janeiro, inferior à variação de 1,22% observada em dezembro. Os Bens Finais registraram um aumento na taxa de variação, de 0,52% em dezembro para 0,74% em janeiro; sobretudo por ocasião da mudança na taxa de variação dos alimentos in natura, que foi de -2,57% para 2,30%. Os Bens Intermediários, por sua vez, registraram uma queda na sua taxa de variação, que tinha sido de 1,69% em dezembro e ficou apenas em 0,68% em janeiro. O com

O volume de serviços cresceu 1,0% em novembro, na série com ajuste sazonal, a primeira taxa positiva na margem desde junho de 2017. Na comparação interanual, a variação ainda foi negativa, de -0,7%, e, no acumulado em 12 meses, de -3,4%.As principais contribuições vieram dos setores de telecomunicações e transportes, dois com alta representatividade dentro da pesquisa.

A Pesquisa Industrial Mensal Regional conduzida pelo IBGE apontou para aumento de 0,2% na produção industrial nacional, com oito dos 14 locais pesquisados apresentando taxas positivas na passagem de outubro para novembro de 2017, na série com ajuste sazonal. Os avanços mais acentuados foram no Espírito Santo (5,8%), Bahia (3,5%), Pernambuco (2,6%) e Minas Gerais (2,4%). Rio Grande do Sul (1,4%), Pará (1,1%), São Paulo (0,7%) e Região Nordeste (0,2%) completaram o conjunto de locais com índices positivos em novembro de 2017. Os resultados negativos mais intensos nesse mês foram no Amazonas (-3,7%), Rio de Janeiro (-2,9%) e Ceará (-2,3%). Ainda na série com ajuste sazonal, o índice de média móvel trimestral para o total da indústria subiu 0,3% no trimestre encerrado em novemb

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2017 com alta de 2,95%. O resultado representa a menor taxa anual desde 1998, quando havia sido de 1,65%. O IPCA de dezembro foi de 0,44%, ficando 0,16 p.p. acima do resultado de novembro, caracterizando a maior variação mensal de 2017. Após recuar de 0,42% em outubro para 0,28% em novembro, o IPCA voltou a subir em dezembro e foi para 0,44%, sob influência, principalmente, da aceleração na taxa dos grupos Alimentação e Bebidas (de -0,38% em novembro para 0,54% em dezembro) e Transportes (de 0,52% para 1,23%). No grupo dos alimentos, após sete meses consecutivos de variação negativa, a mudança de -0,38% em novembro para 0,54% em dezembro deveu-se à alimentação consumida em casa, que passou

Em novembro de 2017, o comércio varejista nacional registrou aumento de 0,7% no volume de vendas frente ao mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal, compensando dessa forma o decréscimo de 0,7% registrado em outubro último. Com isso, o indicador de média móvel trimestral ficou praticamente estável em 0,1%. Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o comércio varejista apontou crescimento de 5,9% em novembro de 2017, oitava taxa positiva seguida e a segunda maior registrada de 2017. O volume de vendas no acumulado de janeiro a novembro foi de 1,9% e o acumulado nos últimos 12 meses, subiu 1,1% em novembro de 2017. O acréscimo de 0,7% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de outubro para novembro de 2017, na série c

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) variou 0,74% em dezembro, ao passo que a variação registrada em novembro foi de 0,80%. Em 12 meses, o IGP-DI acumulou variação de -0,42%. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 1,07% no mês de dezembro. O índice relativo a Bens Finais apresentou variação de 0,45%; o principal responsável por este movimento foi o subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 10,02% para 2,50%. O índice do grupo Bens Intermediários apresentou taxa de variação de 0,46%, ante 1,98%, no mês anterior. O principal responsável por este recuo foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa de variação passou de 7,02% para -2,27%.No estágio das Matérias-Primas Brutas

O IPC-S de 07 de janeiro de 2018 apresentou variação de 0,31%. O resultado ficou 0,1% acima do observado na divulgação semana imediatamente anterior. Na apuração presente, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Alimentação, que mudou sua variação de 0,27% para 0,60%. Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de -0,29% para 3,25%. Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (-0,33% para -0,23%), Educação, Leitura e Recreação (0,37% para 0,47%), Comunicação (-0,07% para 0,12%) e Despesas Diversas (0,21% para 0,28%). Cabe ressaltar o comportamento dos itens tarifa de ele

Informamos que estaremos em férias coletivas no período entre 22/12/2017 e 07/01/2018, de forma que não haverá expediente. A equipe MB Associados deseja um feliz natal e um ótimo 2018, cheio de sucesso, realizações e prosperidade!

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de 0,35% em dezembro. O resultado ficou pouco acima do observado em novembro, que foi de 0,32%. Em dezembro de 2016, a taxa havia sido 0,19%. Dessa forma, o IPCA-15 acumulado, fechou o ano de 2017 em 2,94%, menor resultado acumulado desde 1998, quando havia registrado 1,66%. Três dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados apresentaram resultados em queda: Artigos de residência, Comunicação e Alimentação e Bebidas, com variações negativas de 0,27%, 0,26% e 0,02% respectivamente. A queda de 0,02% em Alimentação e Bebidas foi menos intensa que a registrada nos seis meses anteriores, isso porque alguns alimentos apresentaram variação positiva dos preços, como o óleo de soja (1,92%) e as carnes

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) registrou, no segundo decêndio de dezembro uma variação de 0,88%. No mês anterior a variação foi de 0,37% para o mesmo período de coleta. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou variação de 1,20%, no segundo decêndio de dezembro. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,43%. A taxa de variação dos Bens Finais passou de 0,51% para 0,49%; a principal contribuição para este movimento teve origem no subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 7,68% para 3,30%. A taxa de variação do grupo Bens Intermediários passou de 1,81% em novembro, para 1,23%, em dezembro, com destaque para o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa passou de 3,79% para 1,86%. O índice referen