O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) foi de 0,32%, ficando 0,02 ponto percentual abaixo do resultado de outubro. O acumulado no ano está em 2,58%, o menor para um mês de novembro desde 1998. A energia elétrica foi o item individual com maior impacto, de modo que as contas de luz foram responsáveis por metade do IPCA-15 do mês. Os preços dos alimentos para consumo em domicílio caíram em média 0,45% com destaque para o feijão carioca que registrou uma queda de 7,03% no seu preço; a alimentação fora de casa, por sua vez, subiu em média 0,1%. O preço dos eletrodomésticos apresentou uma queda de 1,19%, ao passo que as taxas de água e esgoto e os gastos com transporte subiram em 0,3% e 0,27% respectivamente, refletindo os reajustes que sofreram.