O indicador antecedente de emprego da Fundação Getúlio Vargas (Iaemp-FGV) subiu 1,5 ponto em julho, na comparação com o mês imediatamente anterior, suavizando parte da queda observada nos dois meses anteriores. Mesmo com o aumento da incerteza na economia desde maio, quando da instauração de inquérito e oferecimento de denúncia pelo Ministério Público contra o presidente Temer, o mercado de trabalho tem esboçado um início de recuperação, tanto pelos dados do Caged quanto pelos da PNAD Contínua, acompanhando a relativa melhora da atividade produtiva. Um dos fatores positivos que mais contribuiu para a percepção de melhora com relação à situação do emprego no país foi o aumento do ímpeto de contratações para os próximos três meses da indústria de transformação e de serviços.